Arquivo da tag: troca de óleo

Dicas para uma troca de óleo eficaz

O óleo é responsável pela lubrificação e proteção das partes móveis, reduzindo o atrito e evitando o desgaste das peças do motor antes do tempo.

O produto ainda tem como funções limpar e refrigerar as peças do veículo, melhorando seu desempenho e otimizando o consumo de combustível.

A troca do óleo é recomendada de acordo com o total de quilômetros rodados, mas estar de olho na qualidade e níveis do óleo auxiliam na prevenção de danos no carro.

Para evitar corrosão no sistema, trepidações, gastos excessivos com combustível e, em casos mais graves, a fundição do motor, atente para essas dicas:

– Verifique o nível de óleo, pelo menos, uma vez a cada 15 dias. A checagem deve ser feita em local plano com o motor do carro frio, cerca de 10 minutos depois de desligá-lo.

– Nunca coloque mais óleo no reservatório do que o indicado, pois pode ocorrer aumento da pressão interna e vazamentos. De menos, haverá a falta de lubrificação.

– Troque o filtro do óleo quando necessário. Muitas montadoras indicam a troca do filtro sempre junto com a do óleo ou a cada duas trocas.

– Utilize sempre lubrificantes de qualidade e que tenham as mesmas especificações indicadas no manual do fabricante.

Atenção: Evite usar aditivos avulsos. Ao misturar este tipo de produto ao óleo, a formulação fica desequilibrada, ocasionando borra e até a lubrificação ineficiente do motor. Muitos óleos já vêm aditivados, mas siga sempre a especificação que consta no manual do proprietário.

Onde fazer a troca de óleo?

A oficina mecânica especializada Widmen é a mais indicada para realizar a troca do óleo do seu carro. O serviço é realizado de forma computadorizada, mostrando o funcionamento do motor e a indicação correta do óleo.

Por que trocar o óleo conosco?

– Pague somente pelo que consumir, sem desperdício!

– Marcas usadas nas maiores competições motorizadas do planeta.

– Seguimos as normas das montadoras.

– Profissionais capacitados nos padrões internacionais.

– Rigoroso controle de qualidade.

– Garantia exclusiva Widmen.

Vá até uma das nossas seis unidades: Recreio, Barra, Botafogo, Tijuca, Niterói ou Jacarepaguá.

Leia mais:

Entenda a cor do óleo do motor:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/entenda-a-cor-do-oleo-do-motor/

Saiba tudo sobre lubrificantes automotivos:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-tudo-sobre-lubrificantes-automotivos/

oleo

Troca de óleo a vácuo ou convencional? Qual é a melhor opção?

Por: Gabriela Rabinovici

O óleo é responsável por lubrificar as peças do veículo, aumentando a vida útil do motor. Ele também limpa e refrigera os itens, garantindo o bom funcionamento do carro como um todo.

Com tantas funções importantes, ele deve ser utilizado de forma correta, pois a lubrificação errada pode resultar na redução da performance do veículo, no aumento no consumo de combustível e até mesmo na fundição do motor.

Mas qual o método mais adequado para fazer a troca?

Existem duas formas de retirar o líquido velho do motor. Uma delas, a convencional, é pela tampa do cárter, no fundo do veículo. A outra é a troca de óleo a vácuo, ou por sucção, que retira o lubrificante pela parte de cima do propulsor.

A vácuo:

Este tipo de troca esconde alguns riscos para o motor. O óleo que será trocado é removido do cárter por meio de uma máquina, que suga o lubrificante antigo a partir da entrada da vareta de medição. Ela leva, em média, 4 ou 5 minutos para ser feita, no entanto, se a pressão de sucção não estiver de acordo com o tipo de motor, poderá causar avaria nos componentes internos.

Além disso, é preciso se certificar de que todo o óleo antigo foi removido antes de completar com o novo lubrificante ao fazer a troca, pois resíduos de óleo oxidado podem comprometer a eficiência do novo e prejudicar o motor.

Convencional:

Por isso, é melhor recorrer à técnica convencional (gravitacional), que eleva o carro para escoar o óleo, abrindo o bujão do cárter. Lembrando que uma boa troca leva em média 20 minutos.

Dica:

Uma troca bem feita necessita ainda que o motor esteja em sua temperatura ideal de funcionamento, ou cerca de 90 ºC. Se você tiver de esperar pela troca de óleo, deixe o motor funcionando até levá-lo para o lugar de troca ou ligue o veículo por uns 10 minutos antes de começar o processo.

A oficina mecânica geral Widmen trabalha com as melhores marcas de lubrificantes automotivos do mercado e possui equipe apta a realizar a troca de óleo convencional com qualidade e eficiência.

Leia mais:

Saiba mais sobre a mistura de óleo sintético e mineral:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-mais-sobre-a-mistura-entre-oleo-sintetico-e-mineral/

Falhas no motor do carro: conheça as principais causas:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/falhas-no-motor-do-carro-conheca-as-principais-causas/

painel carro

A importância das luzes de aviso no painel do carro

Por: Gabriela Rabinovici

Nenhum motorista está livre de problemas repentinos no veículo, no entanto, dificilmente ele vai te deixar na mão sem antes dar algum tipo de aviso. Ficar atento ao comportamento do veículo e ao modo de dirigir é fundamental para prevenir as mais diversas avarias e evitar grandes prejuízos.

O painel de instrumentos de controle, localizado atrás do volante, pode ser um grande aliado. Ele tem como função alertar sobre o bom ou mau funcionamento do veículo, por isso, é muito importante que os motoristas conheçam os ícones do painel e fiquem atentos às indicações para evitar panes, acidentes ou despesas extras. Confira abaixo:

– Baixo nível de combustível:

Se este ícone estiver aceso, o veículo pode ter danos causados na bomba e em outros componentes do sistema de alimentação do motor, o que inclui a parte elétrica. Além disso, a chamada pane seca é infração média e rende multa de R$ 130,16 para o motorista, que ganha também quatro pontos na carteira.

– Alerta de pressão do óleo baixo ou alerta de temperatura:

Ao verificar um destes símbolos ligado no painel, o motorista deve procurar um local seguro para estacionar, pois o carro pode sofrer um dano sério no motor, parar e provocar um grande prejuízo. O ideal é pedir um reboque e levar o veículo imediatamente a um mecânico.

– Aviso do cinto de segurança:

Além de um aviso sonoro, a luz vermelha acende indicando que o cinto não foi afivelado. Não usar o acessório pode resultar em multa de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH porque é infração grave.

– Luz de alerta de motor / luz de injeção eletrônica acesa ou piscando:

Indica alguma falha no sistema de injeção eletrônica do veículo. Busque ajuda de um profissional especializado, já que o veículo pode apresentar cortes durante o funcionamento, perda de potência, dificuldade na partida do motor, aumento no consumo de combustível, além de oscilações na marcha lenta.

– Aviso de freio de mão:

O normal é acender quando o freio de estacionamento estiver em uso, fora deste momento, aponta alguma anormalidade no sistema.

– Verificar a pastilha de freio:

O aviso pode advertir o fim da vida útil das pastilhas de freios. O motorista também pode perceber que o freio está com a resposta mais lenta quando aciona o pedal. Outro sinal é um ruído agudo vindo dos pneus dianteiros.

– Luz indicadora de bateria / alternador:

A perda de tensão na parte elétrica, pode ocasionar falhas na bateria, alternador ou regulador. Vá imediatamente a uma mecânica especializada antes que a bateria fique totalmente descarregada.

– Aviso de airbag:

Caso esta luz esteja acesa, os airbags podem não inflar da forma adequada e causar sérios ferimentos aos ocupantes.

Atenção!

Lembre-se que que trafegar com o veículo em mau estado de conservação é infração grave e pode resultar em multa de R$ 195,23, além de cinco pontos na habilitação.

Faça a manutenção completa do seu veículo na Widmen mais próxima de você e mantenha seu carro em perfeito estado!

Fique por dentro:

Por que não usar rodas trincadas e amassadas?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/por-que-nao-usar-rodas-trincadas-e-amassadas/

A importância de manter os pneus em dia:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/a-importancia-de-manter-os-pneus-em-dia/

troca de óleo

Troca de óleo do motor: dicas para não errar

Por: Gabriela Rabinovici

O óleo é responsável por lubrificar as peças do veículo, aumentando a vida útil do motor. Ele também limpa e refrigera os itens, garantindo o bom funcionamento do carro como um todo.

Com tantas funções importantes, ele deve ser utilizado de forma correta, pois a lubrificação errada pode resultar na redução da performance do veículo, no aumento no consumo de combustível e até mesmo na fundição do motor.

Veja a forma correta de proceder com a troca de óleo:

– Fique de olho na luz do painel. Se ele acender significa que o nível de óleo está baixo;

– Geralmente, o óleo do motor baixa até 1 litro a cada mil quilômetros rodados, por isso, verifique o nível a cada 15 dias;

– O ideal é fazer a leitura da vareta com o motor frio e em lugar plano;

– Não limpe a vareta com estopa. O tecido pode deixar resíduos do óleo antigo contaminarem o novo lubrificante. Opte sempre por usar papel absorvente para limpar a vareta durante a troca do lubrificante;

– Óleo preto não significa que o lubrificante está em más condições de uso e sim que está cumprindo o seu papel de forma eficiente;

– Nunca coloque mais óleo no reservatório do que o indicado, pois pode ocorrer aumento da pressão interna e vazamentos;

– Os fabricantes de óleo não recomendam adicionar aditivos ao óleo;

– Utilize lubrificantes que tenham a mesma base. É possível misturar lubrificantes de marcas diferentes, desde que tenham a mesma base (sintético, semissintético ou mineral), viscosidade e grau API e SAE. Caso contrário, a eficiência da lubrificação é prejudicada e gera sérios riscos ao motor;

– Troque o filtro do óleo quando necessário. Muitas montadoras indicam a troca do filtro sempre junto com a do óleo.

A oficina mecânica geral Widmen trabalha com as melhores marcas de lubrificantes automotivos do mercado e possui equipe apta a realizar a troca de óleo com qualidade e eficiência.

Leia mais:

Saiba mais sobre a mistura de óleo sintético e mineral:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-mais-sobre-a-mistura-entre-oleo-sintetico-e-mineral/

Baixa potência: conheça os principais motivos:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/baixa-potencia-conheca-os-principais-motivos/

Bugatti Veyron

Troca de óleo que custa quase R$ 80 mil? Só se você for dono de um Bugatti Veyron

Por: Gabriela Rabinovici

Considerado um dos carros de rua mais rápidos do mundo, o Bugatti Veyron é o sonho de consumo de muitos, mas faz parte da realidade de poucos. Isso porque a supermáquina pode custar até 10 milhões de reais e o valor da troca de óleo também é astronômico: R$ 78 mil pelas cotações atuais. Vale lembrar, que a troca de óleo de um carro popular no Brasil, sai por volta de 100 reais.

O preço é justificado pelas várias horas que a equipe de mecânicos leva para desmontar a parte traseira da carroceria e assim ter acesso ao motor. Além disso, o cárter de um carro comum tem um bujão para escorrer o óleo, do Bugatti possui 16 bujões, além de comportar nada menos do que 16 litros e meio.

Idealizado por Ferdinand Piëch, ex-chefe da Volkswagen e lançado em 2005, o Veyron possui um motor de oito litros com dezesseis cilindros, quatro turbos, mais de 1.000 cavalos e é capaz de superar os 400 km/h, chegando aos 100 km/h em apenas 2,46 segundos. Dez radiadores mantém o conjunto mecânico na temperatura ideal e o motor consome nada menos que 75 litros de combustível por hora.

Ele possui mais de 20 edições especiais, além de permitir a personalização, através de uma gama de materiais, texturas e cores. No entanto, o custo com a manutenção pode passar dos 800 mil reais anuais.

Conheça outros valores:

– Revisão anual – cerca de 115 mil reais;

– Jogo de 4 pneus novos – cerca de 126 mil reais. (A troca do conjunto é recomendada a cada 4 mil quilômetros);

– Troca do jogo de rodas – cerca de 191 mil reais. (A troca é recomendada a cada 3 substituições do conjunto de pneus);

– Seguro – entre 115 mil reais e 191 mil reais.

É preciso considerar também os gastos com combustível.

Saiba mais:

Troca de filtro do ar-condicionado evita danos ao veículo:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/troca-de-filtro-do-ar-condicionado-evita-danos-ao-veiculo/

Como proteger o carro das altas temperaturas do verão?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/como-proteger-o-carro-das-altas-temperaturas-do-verao/

oleos

7 dicas para acertar na troca de óleo do motor

Por: Gabriela Rabinovici

O óleo do motor tem como principais funções proteger, resfriar, lubrificar e reduzir o atrito entre as peças móveis, melhorando o desempenho, otimizando o consumo de combustível e prevenindo uma série de problemas no veículo.

Algumas dúvidas são comuns na hora de conferir, comprar ou trocar o óleo, por isso, selecionamos sete dicas para você não errar e manter a lubrificação eficiente.

1 – Cheque o nível do óleo periodicamente:

O óleo do motor costuma baixar até 1 litro a cada mil quilômetros rodados. A recomendação é que o nível do lubrificante seja verificado a cada 15 dias ou, pelo menos, a cada mês. Lembre-se que o ideal é fazer a leitura da vareta com o motor frio e em lugar plano.

2 – Não limpe a vareta com estopa

O tecido pode deixar resíduos do óleo antigo contaminarem o novo lubrificante. Opte sempre por usar papel absorvente para limpar a vareta durante a troca do lubrificante.

3 – Não complete o óleo:

Ao fazer isso, o produto novo é misturado com o usado e acaba contaminado. Troque todo o óleo do cárter por um novo, em média a cada 5 mil ou 10 mil quilômetros.

4 – Utilize lubrificantes que tenham a mesma base:

É possível misturar lubrificantes de marcas diferentes, desde que tenham a mesma base (sintético, semissintético ou mineral), viscosidade e grau API e SAE. Caso contrário, a eficiência da lubrificação é prejudicada e gera sérios riscos ao motor.

5 – Feche o bujão corretamente:

O bujão é conhecido também como parafuso. Ele fecha o dreno do cárter de óleo e deve ser aparafusado corretamente para evitar vazamentos. Deixe que um profissional especializado faça a troca de óleo para que o bujão seja fechado sem excesso de força e sem deixá-lo frouxo demais.

6 – Evite usar aditivos avulsos:

Ao misturar este tipo de produto ao óleo, a formulação fica desequilibrada, ocasionando borra e até a lubrificação ineficiente do motor. Muitos óleos já vêm aditivados, mas siga sempre a especificação que consta no manual do proprietário.

7 – Troque o filtro de óleo:

Ele é responsável por filtrar as impurezas de metal geradas pelo atrito entre as peças móveis do motor, além de resíduos gerados pela combustão. Ele precisa ser trocado a cada 10 ou 15 mil quilômetros, juntamente com o óleo, do contrário, as impurezas se acumulam e podem danificar peças importantes do motor como válvulas, cilindros, anéis e pistões.

A oficina mecânica geral Widmen trabalha com as melhores marcas de lubrificantes automotivos do mercado e possui equipe apta a realizar a troca de óleo com qualidade e eficiência.

Leia mais:

Saiba mais sobre a mistura de óleo sintético e mineral:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-mais-sobre-a-mistura-entre-oleo-sintetico-e-mineral/

Falhas no motor do carro: conheça as principais causas:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/falhas-no-motor-do-carro-conheca-as-principais-causas/

motor

Óleo de motor: qual o prazo de troca de cada tipo?

Por: Gabriela Rabinovici

Os óleos lubrificantes para motores automotivos têm como principais funções proteger, resfriar, lubrificar e reduzir o atrito entre as peças móveis, melhorando o desempenho, otimizando o consumo de combustível e prevenindo uma série de problemas no veículo.

Eles podem ser do tipo mineral, semissintético ou sintético e é preciso atenção para não errar no momento da troca ou substituição, afinal, o óleo vence e, se não for trocado no tempo certo, pode causar danos em peças importantes do sistema.

Muitas pessoas afirmam que a troca do óleo mineral é aos 5 mil km, do óleo semissintético é aos 7.500 km e do sintético aos 10 mil km, mas essa informação não confere. A troca deve ser feita de acordo com a recomendação do manual do proprietário.

Atenção especial ao filtro do óleo:

O filtro é responsável por filtrar as impurezas de metal geradas pelo atrito entre as peças móveis do motor, além de resíduos gerados pela combustão. Ele precisa ser trocado juntamente com o óleo, do contrário, as impurezas se acumulam e podem danificar peças importantes do motor como válvulas, cilindros, anéis e pistões.

Dicas:

Óleo preto não é sinônimo de velho. Significa que está lubrificando corretamente, evitando que as impurezas que ultrapassaram o filtro de óleo não sejam depositadas no motor;

– Geralmente, o óleo do motor baixa até 1 litro a cada mil quilômetros rodados;

– Atenção à luz no painel que indica que o nível de óleo está baixo;

– Não utilize aditivos no óleo, pois a formulação fica desiquilibrada, ocasionando borra e até a lubrificação ineficiente do motor. Muitos óleos já vêm aditivados, mas siga sempre a especificação que consta no manual do proprietário.

A mecânica geral Widmen trabalha com as melhores marcas de lubrificantes automotivos do mercado e possui equipe apta a realizar a troca de óleo com qualidade e eficiência.

Fique por dentro:

Entenda a cor do óleo do motor:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/entenda-a-cor-do-oleo-do-motor/

Saiba identificar os principais sinais de problemas no carro:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-identificar-os-principais-sinais-de-problemas-no-carro/

oleo cambio

Confira como as principais marcas pedem a troca de óleo do câmbio automático

Por: Gabriela Rabinovici

O óleo do câmbio é fundamental para o bom funcionamento do sistema de transmissão. Conhecido também como fluido de transmissão, ele tem entre suas funções: proteger as peças internas contra a corrosão e o desgaste precoce, minimizar os efeitos do atrito entre as partes móveis, limpar e refrigerar o sistema, além de atuar como fluido hidráulico, transmitindo torque e realizando a manobra de peças internas do sistema.

Cada automóvel possui um tipo específico de óleo indicado pela montadora e é ela que indica também como essa troca deve ser feita. Saiba como as principais marcas pedem para realizar o procedimento:

Fiat/Jeep:

Ambas as marcas informam que não há necessidade de troca de óleo do câmbio automático. Mas é sempre bom verificar com seu mecânico de confiança.

Volkswagen:

O câmbio de dupla embreagem DSG necessita de troca do óleo a cada 60.000 km ou três anos.

Renault:

Não há indicação de necessidade de troca de óleo do câmbio automático, mas é recomendada a verificação do nível do óleo e seu estado de conservação a cada 20.000 km ou um ano no caso do CVT e do automatizado Easy’R.

Chevrolet:

Conta com plano de manutenção com troca de óleo do câmbio automático para seus carros em caso de uso severo, sendo essa aos 80.000 km.

Honda:

No CVT, a complementação do óleo é feita a cada 40.000 km. Caso não alcance os 40.000 km, em dois anos, será preciso fazer esse serviço na rede autorizada pelo tempo.

Toyota:

Os planos de manutenção do manual indicam inspeção a cada 20.000 km.

Nissan:

A cada 10.000 km deve ser feita a verificação do nível e se há ocorrência de vazamento. Não há troca de óleo de câmbio automático.

Hyundai:

De acordo com o manual do proprietário, dispensa a necessidade de troca e de inspeção. Indicamos a verificação com seu mecânico.

Ford:

Também é livre de troca de óleo do câmbio automático. Mas é sempre bom verificar.

Para completar o nível ou fazer a troca por um óleo de qualidade, vá até uma mecânica de confiança. A Widmen trabalha com as melhores marcas de lubrificantes automotivos do mercado e possui equipe apta a realizar a troca com qualidade e eficiência.

Saiba mais:

As consequências do excesso de óleo no motor:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/as-consequencias-do-excesso-de-oleo-no-motor/

Saiba mais sobre a mistura entre óleo sintético e mineral:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-mais-sobre-a-mistura-entre-oleo-sintetico-e-mineral/

manutenção

O que conferir no carro antes de viajar nas férias?

Por: Gabriela Rabinovici

Janeiro chegou e, com ele, os planos de curtir as férias escolares dos pequenos. Para quem ama viajar, ir de carro pode tornar sua experiência ainda melhor, mas antes de pegar a estrada para uma viagem longa ou curta é preciso revisar os itens do carro.

Uma breve revisão e cuidados básicos podem evitar diversos riscos e inconvenientes durante o trajeto, mas não deixe para verificá-los na véspera, pois pode ser necessário fazer alguma troca ou manutenção.

Confira os principais:

– Pneus:

A primeira coisa a ser verificada é o nível de desgaste dos itens. Se atingiram ou ultrapassaram o limite de 1,6mm de profundidade dos sulcos, faça a substituição imediata.

Rodar com os pneus carecas representa um grande perigo, isso porque o carro pode derrapar ou aquaplanar, já que sua aderência no solo fica comprometida. Lembre-se que trafegar com eles nesse estado acarreta multa de R$ 195,23, mais cinco pontos na carteira.

– Itens de segurança:

É essencial ver se o kit de emergência composto por triângulo de sinalização, macaco para a troca de pneus e chave de roda estão em ordem. Eles são itens básicos de segurança e ajudam a preservar vidas.

– Sistema elétrico, faróis e lâmpadas:

Bateria, motor de partida, alternador, lâmpadas e fusíveis do carro merecem atenção, afinal o bom funcionamento desses itens pode prevenir acidentes e evitar multas. Substituir lâmpadas queimadas é rápido e fácil.

– Fluidos:

Principalmente, em viagens longas, o motor do carro é submetido a um esforço maior e, possivelmente, terá um consumo maior, sendo assim, todos os fluidos, incluindo o líquido de arrefecimento, óleo do motor e transmissão, fluido de freio, direção hidráulica, embreagem e nível do combustível do reservatório de partida devem ser verificados.

– Velas e cabos:

Se houver danos nesse sistema, outros componentes serão afetados, portanto faça o check-up de ambos a cada 10 mil quilômetros e a troca dos cabos a cada 50 mil quilômetros.

– Freio:

Essencial para evitar acidentes. Por isso, muita atenção para o óleo do freio, para a luz de freio na traseira, para o disco de freio, para a pastilha e para o freio de mão.

– Limpador de para-brisas:

As palhetas tendem a ficar ressecadas e impedir o escoamento adequado da água, sendo assim, cheque os limpadores e desembaçadores e não se esqueça de conferir o nível do reservatório de limpeza.

Atenção!

Esteja com os documentos do carro e a manutenção em dia! Viaje tranquilo! Vá até uma das unidades da Widmen e faça a revisão completa de seu automóvel.

Leia mais:

Conheça o Profundímetro da Widmen:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/conheca-o-profundimetro-da-widmen/

Conheça os hábitos que desgastam seu carro:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/conheca-os-habitos-que-desgastam-o-seu-carro/

revisados

7 itens que podem ser revisados pelo motorista

Por: Gabriela Rabinovici

Você sabia que o risco de acidentes triplica em veículos sem manutenção? A afirmação é do Departamento Estadual de Trânsito do Paraná (Detran-PR), que toma como base, estudo que apurou as causas de acidentes rodoviários pelo país. 80% dos veículos em circulação no Brasil tem algum tipo de problema como pneu careca, lanterna queimada, falta de seta, motores desregulados, entre outros e essa falta de cuidados coloca em risco a segurança de todos.

Avarias no carro podem acontecer e pegar o motorista de surpresa, seja em trajetos curtos ou longas viagens, por isso, você mesmo pode checar alguns itens antes de pegar a estrada.

1 – Combustível:

A pane seca ou falta de combustível no carro, além de transtorno ao motorista gera multa de R$ 130,16, quatro pontos na carteira e até remoção do veículo. O prejuízo também pode ser grande, resultando na queima da bomba de combustível, cujo conserto não é nada barato. Por isso, não deixe de conferir o nível.

2 – Água:

É preciso verificar o nível de água do motor, pelo menos, uma vez por mês. Sem água e fluido, a junta do cabeçote queima e, se o carro continuar a rodar, o motor pode fundir.

3 – Parte elétrica:

Antes de sair verifique a buzina, luzes, sistema de som e ar-condicionado. Falhas podem indicar que algo pode estar desconectado, colaborando para possíveis acidentes e gastos a mais com peças novas.

4 – Pneus:

Fazer a manutenção regular garante maior durabilidade, estabilidade e segurança. Não se esqueça da calibragem, alinhamento, balanceamento, rodízio e substituição no prazo indicado.

5 – Óleo:

Para garantir a lubrificação, limpeza e proteção do motor é necessário fazer a troca de óleo de acordo com o prazo recomendado pela montadora. O óleo vencido pode oxidar e até fundir o motor, causando prejuízos de até 5 mil reais.

6 – Cinto de segurança:

Fique atento aos engates, pois eles precisam estar bem presos à carroceria do veículo. Se o item estiver apertado ou frouxo demais, deve-se resolver o problema em uma loja especializada;

7 – Palhetas do para-brisa:

Verifique atentamente as palhetas, pois quando ressecadas causam excesso de barulho e arranhões nos vidros, prejudicando a visibilidade do motorista. A peça é barata e a substituição pode evitar prejuízos maiores.

A Widmen possui equipe especializada para fazer todos os tipos de manutenção no seu carro. Vá até uma das cinco unidades localizadas no Rio de Janeiro e Niterói.

 

Leia mais:

Dicas de manutenção preventiva:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/dicas-de-manutencao-preventiva/

A importância de manter a pressão ideal dos pneus:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/a-importancia-de-manter-a-pressao-ideal-dos-pneus/