Arquivo da tag: DETRAN

vistoria-detran

Conheça alguns itens obrigatórios inspecionados na vistoria

Por: Gabriela Rabinovici

 A Vistoria Veicular Anual tem como objetivo verificar as condições de conservação e manutenção dos veículos. Ela consiste no processo de renovação do documento de porte obrigatório, o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV).

No procedimento são avaliadas ainda as mudanças de características, numerações identificadoras e os documentos pertinentes à circulação e atos administrativos.

Os equipamentos obrigatórios que precisam constar no veículo são o macaco, chave de roda, triângulo e pneu estepe. Já em relação ao sistema de iluminação, as luzes de freio, de ré e os pisca alertas precisam estar funcionando.

Placas precisam estar legíveis, com o lacre intacto, sem trincas e sem obstáculos na leitura da identificação. Para-brisa deve estar funcionando e com água, os para-sóis não podem estar quebrados ou molengas e é preciso ter encostos de cabeça para os quatro passageiros.

O que mais gera exigências no Detran são pneus gastos e parte elétrica inoperante (faróis, piscas, lanternas, luzes de freio e de ré). Por isso, antes de tudo, analise minuciosamente esses itens antes de realizar a vistoria, aliás eles precisam estar sempre em bom estado de funcionamento.

Atenção!

Suspensões rebaixadas ou pneus mais largos que os para-lamas estão proibidos. Faróis de xenônio, só de fábrica ou instalados até 2008. Já a película, é permitida, desde que respeite a transparência de 75% no vidro dianteiro (70% para vidros coloridos), 70% nos laterais dianteiros, 50% nos laterais traseiros e 28% nos demais, inclusive o traseiro.

Os veículos aprovados recebem o certificado e o Selo de Inspeção que será colado no vidro dianteiro do veículo, no entanto, se o veículo for reprovado, o proprietário recebe o Relatório de Inspeção que explica as causas da reprovação, tendo 30 dias para regularizar a situação e fazer uma nova vistoria.

No site do Detran é possível ver a lista completa dos itens verificados: http://goo.gl/WD35j

Conte com a Widmen para realizar a revisão do seu carro e evite preocupações no dia da vistoria.

Leia mais:

Confira 10 dicas de bom comportamento no trânsito:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/confira-10-dicas-de-bom-comportamento-no-transito/

Como solicitar a CNH especial?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/como-solicitar-a-cnh-especial/

reboque

Carros com engate de reboque: confira as normas e cuidados

Por: Gabriela Rabinovici

O uso de engates automotivos, conhecidos também como engates de reboque, tem se tornado cada vez mais comum em veículos de passeio. O acessório serve para engatar reboques, carretinhas, barcos, jet-skis e outros complementos com o intuito de aumentar a capacidade de carga do veículo.

Para utilizar o engate é preciso estar de acordo com diversas recomendações de segurança, caso contrário pode render penalizações ao motorista. Observe alguns cuidados e normas que regulamentam o uso:

- De acordo com a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), só pode ter engate os automóveis com até 3.500 kg, além disso é preciso que a capacidade de reboque tenha sido declarada pelo fabricante ou pelo importador;

- Os equipamentos devem ter esfera maciça apropriada para o tracionamento de reboque e não podem ter formatos diferentes, como formas de peça de xadrez, cavalo, etc;

- A tomada e instalação elétrica para a conexão do veículo rebocado deve estar operante. É preciso um dispositivo para fixação da corrente de segurança do reboque, dispositivos de iluminação (luzes de freio ou neón) devidamente regulamentados, ausência de superfícies cortantes e cantos vivos na haste de fixação da esfera;

- Os engates devem ser fabricados com uma plaqueta inviolável contendo as seguintes informações: nome empresarial do fabricante com o respectivo CNPJ e identificação do registro concedido pelo Inmetro, além do modelo e capacidade máxima de tração do veículo ao qual se destina e também referência a Resolução 197 do Contran;

- Vale mencionar que os fabricantes e importadores de veículos precisam informar ao Denatran os modelos dos veículos que possuem capacidade para tracionar reboque, além de incluir no manual do proprietário os pontos de fixação do engate e a capacidade máxima de tração do veículo.

Atenção:

- Muitas pessoas utilizam o engate para embelezar seus veículos e também como proteção contra colisões traseiras. No entanto, ao contrário do que se espera, o acessório pode provocar danos ainda maiores. Por isso, faça uso exclusivo para engate;

- Dirija com muita cautela, principalmente nas curvas e em dias chuvosos;

- Cuidado ao estacionar e durante as ultrapassagens quando estiver com algum componente engatado. Lembre-se que o veículo terá alguns metros a mais, além disso, os movimentos desses anexos costumam ser contrários ao movimento normal do veículo.

Risco de multa:

Dirigir um automóvel com reboque fora das especificações é infração grave, punida com multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira de habilitação.

Leia mais:

Conheça os pneus mais apropriados para carga:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/conheca-os-pneus-mais-apropriados-para-carga/

Saiba mais sobre o transporte de carga em picapes:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-mais-sobre-o-transporte-de-carga-em-picapes/

vistoria-detran

Vistoria sem IPVA está liberada para motoristas do Rio de Janeiro

Por: Gabriela Rabinovici

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é cobrado a todo proprietário de carro ou moto no início do ano. O motorista pode escolher pagar o valor integral ou dividir em até três parcelas.

Em outubro de 2017, a Assembleia Legislativa aprovou uma lei que permite que os motoristas do estado realizem a vistoria sem ter a necessidade de pagar o imposto. Sendo assim, quem estiver com o IPVA atrasado poderá agendar a vistoria anual veicular, sem necessidade de quitar a dívida.

O direito foi garantido pelo Projeto de Lei 739/2007, que estabelece que a inadimplência de IPVA não pode ser impeditivo para a vistoria e obtenção do CRLV. “Isso é um direito do usuário porque a vistoria garante a segurança dele e do pedestre. Esse impedimento é inconstitucional”, alega o deputado Luiz Paulo (PSDB), autor do projeto de lei.

O texto aprovado prevê ainda que o Detran-RJ deve fazer constar no CRLV a informação sobre o ano em que o IPVA do veículo não estiver pago. A informação de inadimplência no documento, no entanto, não deve fazer com que o veículo seja rebocado em blitzen nas ruas.

O órgão informou ter desenvolvido uma adaptação específica do sistema para cumprir a lei e o motorista deve seguir alguns procedimentos de acordo com o serviço escolhido no site do Detran.

Segundo as informações, para o licenciamento anual o cidadão deverá pagar os dudas (taxas), correspondentes a cada ano de exercício, de R$ 189,45, correspondente à taxa de CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) e vistoria.

Para o licenciamento anual sem vistoria, o motorista deverá pagar os dudas, correspondentes a cada ano de exercício em débito, correspondente ao ano de débito, no valor de R$ 54,13, correspondente à taxa de CRLV.

O órgão informou ainda que o pagamento do duda deve ser correspondente ao CPF/CNPJ do proprietário do veículo. No caso de arrendamento, o pagamento deverá ser feito no CPF ou CNPJ do arrendatário. Além disso, para todos os serviços, o usuário também precisa fazer o pagamento do DPVAT – seguro de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre.

Após o pagamento das taxas correspondentes, é possível fazer o agendamento do seu serviço no site do Detran. As marcações, então, serão feitas após a compensação do pagamento do serviço.

Depois da vistoria, se atender todas as exigências, o motorista receberá o CRLV do Detran, o que tornará legal a circulação do veículo. Haverá, no entanto, uma observação administrativa das pendências de pagamento do IPVA dos respectivos anos de débito, como determina a nova lei.

Atenção!

Mesmo sem o pagamento do IPVA, o licenciamento só pode ser feito sem pendências de multas no sistema, informou o órgão.

Leia mais:

Restituição do IPVA a proprietários de veículos roubados:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/restituicao-do-ipva-a-proprietarios-de-veiculos-roubados/

Confira os novos valores das multas de trânsito:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/confira-os-novos-valores-das-multas-de-transito/

habilitacao

Como transferir a pontuação da CNH para o condutor infrator?

Por: Gabriela Rabinovici

Uma cena comum: emprestar o carro para algum amigo ou familiar e acabar sendo responsabilizado com pontos na CNH por infrações cometidas pelo real condutor. Se isto aconteceu com você, não se preocupe, o DETRAN permite que você transfira a pontuação de maneira prática e rápida!

O procedimento é chamado de Declaração de Indicação de Real Condutor Infrator (DIRC), cujo formulário deve ser preenchido e apresentado ao órgão competente junto com uma cópia da CNH do condutor infrator e um documento legível que comprove a assinatura do condutor infrator, no prazo de 15 (quinze) dias, contados da data da Notificação da Autuação.

Se a infração foi cometida em rodovias estaduais ou vias urbanas deve ser feita no DETRAN. Caso contrário, deve-se procurar o órgão que aplicou a pontuação, podendo ser o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) ou a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A DIRC poderá ser substituída por outro documento, desde que contenha as informações mínimas exigidas previstas no Art. 5º da Resolução nº 619, de 06 de setembro de 2016, do Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN.

A indicação do condutor infrator somente será acatada e produzirá efeitos legais se o Formulário de Identificação do Condutor estiver corretamente preenchido, sem rasuras, com assinaturas originais do condutor e do proprietário do veículo e acompanhado de cópia reprográfica legível dos documentos.

Caso não seja identificado o real condutor, a pontuação da infração será debitada da CNH do proprietário do veículo.

É importante saber que as infrações referentes a atrasos de IPVA e falta de equipamentos obrigatórios de segurança, como extintor vencido ou lanterna queimada, os pontos não são transferidos e vão para o dono, mesmo que seja outra pessoa o condutor. O mesmo acontece quando um menor está ao volante.

Atenção:

Fraude na transferência de pontos entre CNHs é considerado crime de falsidade ideológica, de acordo com o artigo 299 do Código Penal. Quem assume os pontos sem ser o real infrator pode ser penalizado com reclusão de até cinco anos e multa.

Veja o passo-a-passo para a transferência da pontuação no DETRAN-RJ: https://goo.gl/hRqe1M

Saiba mais:

Levou multa? Saiba como proceder?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/levou-multa-saiba-como-proceder/

Posso parcelar multas de trânsito?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/posso-parcelar-multas-de-transito/