Todos os posts de Widmen

pneus-pirelli

Pirelli começará a testar os pneus de 18 polegadas de 2021

Por: Gabriela Rabinovici

Após renovar contrato de exclusividade com a Fórmula 1 até a temporada de 2023, a Pirelli revelou que vai começar a testar com os pneus de 18 polegadas para 2021 a partir do segundo semestre de 2019.

As novas rodas aro 18 são parte de uma grande mudança no regulamento que deve acontecer na Fórmula 1 em 2021. A fabricante italiana fará os testes com carros especiais que serão entregues às equipes.

A empresa acredita que os pneus deste perfil, que já são vistos no WEC e Fórmula E, possuem mais em comum com a tecnologia de carros de rua do que os atuais de 13 polegadas, o que seria melhor para fins de marketing.

De acordo com Mario Isola, chefe de automobilismo da Pirelli, o pneu de 2021 é o maior desafio da Pirelli na F1. “Desenvolver a nova borracha não é fácil e é por isso que queremos vários testes nesta temporada. Quando você está olhando para o desempenho dos carros, os pneus têm que ser bons instantaneamente. Se começarmos a testar na segunda metade da temporada, podemos analisar os dados durante o inverno e ajustar os pneus, se necessário.”

Isola declarou ainda que espera contar com dois carros diferentes para os experimentos, com o intuito de ter um parâmetro para comparações. O engenheiro explicou que o pontapé inicial para os testes precisa ser ainda este ano para que haja tempo hábil para modificações visando aos treinamentos no ano que vem, o último com o atual regulamento para os pneus.

“É muito importante, e considerando também o nível de desempenho dos carros, precisamos ter certeza de que estamos fornecendo um bom produto, e a partir do segundo semestre do ano também nos dá a oportunidade de ter o inverno para rever os testes e para fazer mudanças, se for necessário. Por exemplo, se você tem que mudar o perfil do pneu, você tem que fazer novos moldes, e isso leva tempo.”

Pneus de 2020:

A Pirelli também fará mais testes na primeira metade desta temporada, mas isso será apenas para os pneus do próximo ano.

Leia mais:

Conheça a tecnologia Seal Inside da Pirelli:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/conheca-a-tecnologia-seal-inside-dos-pneus-pirelli/

Saiba tudo sobre os pneus run flat Pirelli:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-tudo-sobre-os-pneus-run-flat-pirelli/

preço-da-gasolina

De olho no preço da Gasolina

Por: Gabriela Rabinovici

O combustível é uma das despesas que mais pesa para o consumidor brasileiro. Segundo o levantamento da ANP, entre os dias 14 e 20 de abril, no Brasil o litro de gasolina avançou 0,59%, de R$ 4,402 para R$ 4,428. Já o preço do litro do diesel caiu 0,05%, de R$ 3,551 para R$ 3,549. Ainda conforme os dados, o valor do litro do etanol avançou 2,13% no período, de R$ 2,908 para R$ 2,970. 

O preço da gasolina teve alta, o número foi alcançado depois do último reajuste da Petrobras, que aumentou o valor do combustível em 2,046%. No acumulado do ano, o preço da gasolina já subiu 1,93% e o do diesel avançou 2,84%. O etanol teve alta de 4,9%.

Com isso, o preço da gasolina subiu, nas refinarias este ano, de R$ 1,5087 o litro, no início de janeiro, para R$ 1,975 neste mês. Este é o maior valor desde 30 de outubro de 2018, quando o combustível estava cotado em 1,9855 real, segundo dados publicados anteriormente pela Petrobras.

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, esse reajuste se dá 18 dias após o último e representa um aumento de R$ 0,0396 por litro.

Mudança na divulgação dos preços:

A estatal anunciou uma mudança na divulgação dos seus preços de combustíveis. A Petrobras decidiu passar a publicar em seu site os valores dos combustíveis em todos os seus pontos de venda, e não mais a média como fazia anteriormente.

Segundo a Petrobras, a mudança na publicação dos preços atende a pedidos do mercado e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que se queixavam de que a média nacional não dava a transparência necessária sobre como a petroleira estava atuando em seus pontos de venda.

Leia mais:

Dicas para evitar que o carro seja reprovado por gases poluentes na vistoria do Detran:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/dicas-para-evitar-que-o-carro-seja-reprovado-por-gases-poluentes-na-vistoria-do-detran/

Troca de óleo a vácuo ou convencional? Qual é a melhor opção?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/troca-de-oleo-a-vacuo-ou-convencional-qual-e-a-melhor-opcao/

molas-esportivas

Molas esportivas: dicas de instalação

Por: Gabriela Rabinovici

O sistema de suspensão conecta o veículo às rodas, sendo responsável pela estabilidade, pela absorção de impactos e pelo aumento do atrito entre os pneus e o solo.

As molas fazem parte desse sistema e ajudam a sustentar o peso, controlar a altura do veículo e absorver melhor os impactos e diferenças no asfalto. Para quem deseja rebaixar o carro com segurança, as molas esportivas são a melhor opção.

Elas estão disponíveis para compra nas mais diferentes marcas e características, no entanto, é preciso escolher um jogo de molas que se adapte perfeitamente ao veículo. Com elas, é possível abaixar o carro entre 3 a 4 centímetros (média indicada ao rebaixamento seguro).

Mas como instalá-las?

– O primeiro passo é verificar se o código atende às especificações de aplicação para seu veículo;

– Em seguida, é preciso substituir os batentes originais pelos que compõem o kit;

– As molas devem ser encaixadas na posição correta para evitar mau funcionamento e possíveis ruídos;

– Depois de instaladas é preciso testar o veículo para ver se está tudo em ordem;

– É recomendado ainda, realizar o alinhamento, já que a geometria da suspensão foi alterada;

– Para garantir qualidade na instalação, escolha um profissional especializado no assunto para realizar o serviço.

Atenção!

– Cortar as molas é uma das maneiras mais conhecidas para rebaixar o carro. Essa prática não é recomendada pelas montadoras, pois diminui a estabilidade do veículo e danifica outras peças da suspensão;

– Antes de trocar as molas do seu carro, verifique junto ao Detran do seu estado qual é o procedimento para regularizar a alteração.

Substituição:

Caso não estejam em perfeitas condições, o correto é que as molas esportivas sejam substituídas. Por isso, fique atento a pontos de ferrugem nos elos da mola, coxim do amortecedor danificado, partes descascadas ou trincadas e sensação de forte impacto ao passar em desníveis. Não negligencie a revisão!

Conte com a Widmen para instalar as molas esportivas do seu carro com qualidade e eficiência.

Saiba mais:

Fique por dentro:

Tipos de carrocerias dos carros. Qual o ideal para você?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/tipos-de-carrocerias-dos-carros-qual-o-ideal-para-voce/

Como rebaixar o carro dentro da lei:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/como-rebaixar-o-carro-dentro-da-lei/

sulcos-do-pneu

A importância da profundidade dos sulcos do pneu

Por: Gabriela Rabinovici

Pneus são os únicos itens de contato direto com o solo e precisam de cuidados especiais para que forneçam o conforto e a segurança necessários durante toda sua vida útil, afinal ele sofre um desgaste natural com o passar do tempo.

O estilo de dirigir, o tipo de pneu utilizado e as condições da pista sobre a qual o motorista conduz interferem no tempo de troca. Embora, não exista um prazo exato para a troca dos pneus, a manutenção periódica deve ser feita a cada 10 mil quilômetros para analisar as condições dos itens.

É importante saber que a legislação brasileira estabelece que os sulcos dos pneus tenham, no mínimo, 1,6 milímetros de profundidade para que o motorista trafegue sem riscos de aquaplanagem, perda de estabilidade e acidentes. Essa informação pode ser facilmente obtida verificando os indicadores de desgaste (TWI) incorporados aos sulcos circunferenciais dos pneus.

O próprio motorista pode fazer essa análise através do Profundímetro, um cartão que possui uma seta de três cores que indicam o nível de desgaste do pneu. Para utilizar basta colocar a seta no sulco e verificar a cor que ficará para fora.

Azul: significa que o pneu está adequado para o uso com segurança.

Amarelo: significa “atenção”, pois falta pouco tempo para a troca.

Vermelho: significa “perigo”, pois nesse estágio há risco de perda de estabilidade e é indicada a troca o mais rápido possível.

Dicas:

– Não use pneus remold;

– Faça o rodízio periódico para equilibrar o desgaste e prevenir danos;

– Lubrifique as porcas dos pneus. Isso facilita a troca e evita a ferrugem;

– Evite a sobrecarga. Circule com a quantidade de peso dentro dos limites que o fabricante sugere. Um pneu com sobrecarga de 30%, leva a uma perda média de 40% na sua vida útil, além de elevar o consumo de combustível e danificar peças importantes;

– Evite pistas esburacadas ou utilize pneus apropriados para este tipo de terreno, do contrário causará problemas na suspensão do veículo e o desgaste prematuro dos pneus.

Lembre-se que rodar com os pneus carecas é arriscado e consta como infração grave, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira.

Compareça a uma das unidades da mecânica geral Widmen, faça um check-up do carro e retire o seu Profundímetro grátis!

Fique por dentro:

Conheça as principais tendências tecnológicas em pneus:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/conheca-as-principais-tendencias-tecnologicas-em-pneus/

Dicas ao trocar as rodas do carro por rodas esportivas:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/dicas-ao-trocar-as-rodas-do-carro-por-rodas-esportivas/

toque-do-motor

Saiba o que é o torque de um motor

Por: Gabriela Rabinovici

Na hora de comprar um veículo é muito importante ter conhecimento sobre alguns dados. A potência, cavalos e torque do motor, por exemplo, são informações essenciais e muitos motoristas acabam confundindo o significado dos três, fazendo a compra errada.

No Brasil, o torque é geralmente medido em kgf.m (quilograma força vezes metro). É uma medida de força do motor: quanto maior o torque, melhor ele responderá às acelerações.

O torque é o responsável pela capacidade do motor produzir força motriz, ou seja, o movimento giratório. É essa força que faz o veículo sair da inércia, arrancar e subir ladeiras íngremes sem que você precise efetuar muitas trocas de marchas. Sendo assim, no off-road, o torque é mais importante que a potência. 

Um carro com uma boa relação peso x torque responde bem às acelerações. Vale mencionar que ele é medido pelo dinamômetro ao colocar o motor com aceleração máxima em diferentes rotações.

Embora, muitas pessoas prezem pela escolha da maior potência, o torque também é essencial na hora de comprar não só veículos leves, mas principalmente veículos de transporte, como caminhões e ônibus. Quanto mais pesado o veículo, mais importante costuma ser o torque. Só para comparar, um ônibus pode exigir até 16 vezes mais torque do motor para sair do lugar do que um Fiat Palio.

Segurança:

O torque está relacionado à segurança, pois em situações que exigem manobras mais rápidas, o motor com maior torque terá uma retomada de velocidade mais ágil, permitindo que a ultrapassagem seja mais segura.

Curiosidade:

Dois carros com a mesma potência podem ter torques diferentes. Isso é possível porque o torque e a potência máximos ocorrem em rotações diferentes do motor.

Manutenção:

Está sentindo seu carro perder a força? Vá até uma das unidades da Widmen e faça a revisão completa do veículo.

Leia mais:

Dicas para dirigir em estrada de terra:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/dicas-para-dirigir-em-estrada-de-terra/

Fique por dentro dos 5 sistemas de exaustão automotivo:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/fique-por-dentro-dos-5-sistemas-de-exaustao-automotivo/

revisão de itens do motor

Saiba mais sobre a revisão de itens do motor

Por: Gabriela Rabinovici

O motor de um veículo é o responsável por transformar combustível em energia, gerando movimento nas rodas. Ele conta com itens muito delicados e partes eletrônicas que precisam de atenção especial.

No interior do motor, a movimentação é muito intensa. A cada rotação de um motor 4 cilindros, por exemplo, os pistões se deslocam duas vezes, uma para cima e outra para baixo. Isso significa que se o motor gira na marcha lenta, com 1.000 rotações por minuto (rpm), cada pistão se deslocará 2.000 vezes dentro do mesmo minuto. O desgaste pode ser rápido se não houver cuidados.

Por isso, fique atento aos prazos de troca e acompanhe a verificação de cada item. 

– Óleo e líquido de arrefecimento:

O óleo do motor deve ser trocado a cada 10 mil quilômetros ou uma vez por ano e o líquido de arrefecimento a cada 30 mil quilômetros. Utilizar óleo vencido cria depósitos de borra que entopem os dutos de lubrificação, podendo danificar o motor. Não trocar o líquido de arrefecimento desequilibra a temperatura, causando superaquecimento.

– Óleo do freio:

O nível mínimo do óleo de freio é na metade do reservatório. Portanto, caso esteja abaixo dessa marcação, a recomendação é levar o carro ao mecânico especializado pois pode indicar vazamento ou que as pastilhas de freio estão desgastadas.

– Bateria:

É importante checar se há um resíduo branco onde os fios são conectados, pois isso pode indicar vazamento e necessidade de troca. Verifique também, o visor presente na parte superior da bateria. Se ele estiver verde, a bateria está funcionando corretamente, caso esteja preto, a bateria está sem carga e é recomendável levar o carro ao mecânico.

– Reservatório de gasolina:

Nos veículos que têm o reservatório, peça que o frentista ou mecânico substitua a gasolina presente no tanque mensalmente.

Atenção!

Confira no manual do fabricante, os intervalos de manutenção e itens a serem checados conforme a quilometragem do carro.

Garanta mais tranquilidade e segurança no trânsito. Faça a revisão do motor do seu carro na Widmen! Estamos localizados no Recreio, Barra, Botafogo, Tijuca e Niterói.

Leia mais:

As consequências do excesso de óleo no motor:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/as-consequencias-do-excesso-de-oleo-no-motor/

Saiba como funciona o motor turbo de um carro:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-como-funciona-o-motor-turbo-de-um-carro/

sistemas de exaustão automotivo

Fique por dentro dos 5 sistemas de exaustão automotivo

Por: Gabriela Rabinovici

O escapamento ou sistema de exaustão tem como função principal, a eliminação de gases, que são gerados após a queima nos cilindros, sendo assim, sua finalidade básica é conduzir os gases resultantes, devidamente filtrados para amenizar a poluição, além de proporcionar conforto ao deixar o barulho do motor no nível de ruído determinado pela legislação vigente e evitar que os gases tóxicos invadam o interior do automóvel.

Ele é composto por peças conectadas pelos tubos de escape, dispostas entre o motor e as ponteiras do veículo. Existem cinco tipos principais de sistemas de exaustão, confira:

1 – Sistema de exaustão de saída única:

É o tipo mais comum, montado na maioria dos carros. Comparado a outros tipos de sistemas de exaustão, eles são simples e baratos de fabricar e instalar, apesar de serem menos eficientes do que alguns sistemas. 

2 – Sistema de exaustão de saída dupla traseira:

Está situado debaixo do para-choque traseiro. Sistemas de saída dupla traseira são mais eficientes. Eles também alteram o som dos gases de escape, tornando-o mais profundo e dando a impressão de um motor mais potente. Muito apreciado por amantes de carros esportivos.

3 – Sistema de exaustão de saída dupla oposta:

Consiste em uma variação do sistema de saída dupla traseira. Os tubos possuem comprimento extra e contornam a roda, tendo a possibilidade de curvar para melhorar o processo de filtragem. Este tipo de sistema é muito fácil de ser encontrado nos veículos que costumam rebocar cargas de grande porte. 

4 – Saída de escape dupla lateral:

É composta por dois tubos de escape que se encontram ao lado um do outro na lateral de um automóvel. Ao estarem os dois tubos de escape juntos, a eliminação dos gases é mais eficiente e isso faz com que o motor tenha um melhor funcionamento. Os tubos de escape costumam ser menores, além disso, oferecem melhorias no desempenho de um carro na estrada.

5 – Sistema de exaustão de alta performance:

São sistemas especialmente reforçados. Eles podem incluir recursos, tais como tubos de escape mais largos e ventilação mais eficaz. Geralmente, não são equipamentos de série em carros, mas opções de pós-venda, mais caros e de instalação complicada.

Não deixe de realizar a manutenção do sistema de exaustão do seu carro na Widmen mais próxima de você!

Leia mais:

Como prolongar a vida útil do escapamento?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/como-prolongar-a-vida-util-do-escapamento/

Defeito no catalisador aumenta o consumo de combustível:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/defeito-no-catalisador-aumenta-o-consumo-de-combustivel/

ar-condicionado

Conheça os principais tipos de ar-condicionado automotivo

Por: Gabriela Rabinovici

O ar-condicionado é um item indispensável no carro dos brasileiros, principalmente, em dias quentes e de chuvas torrenciais. Enquanto alguns modelos mais baratos possuem o dispositivo com comando analógico, veículos mais caros e modernos possuem ar-condicionado digital. Mas quais são os principais tipos disponíveis no mercado? Confira:

– Analógico
É o modelo mais conhecido. Os botões deslizantes ou giratórios apontam a intensidade que o aparelho precisará trabalhar – azul (frio) ou vermelha (quente). O usuário precisa definir a velocidade do ventilador e operar a recirculação sempre que necessário.

– Analógico com controle automático
Com este tipo não é preciso regular a temperatura todo tempo. Ele é analógico, porém com controle automático da temperatura. Os botões continuam deslizantes ou giratórios, mas com esta funcionalidade extra é possível que o sistema se ajuste conforme à necessidade.

– Digital
Este tipo de aparelho é totalmente digital. O usuário controla apenas por botões e o sistema permite escolher uma temperatura exata para o fluxo de ar, mas não consegue mantê-la na cabine; pode ter visor.

– Digital automático
Ele é parecido com o digital normal, mas possui sensores e consegue manter a temperatura escolhida dentro do veículo, dando mais precisão ao desejo dos passageiros, evitando que o usuário tenha que ajustar a todo o momento.

Atenção!

Seu carro não veio com ar-condicionado de fábrica? Está pensando em trocar o modelo? É preciso saber que alterações fora das oficinas de concessionárias ou fora das assistências técnicas autorizadas podem resultar na perda da garantia do veículo.

Dica:

– Ligue o ar-condicionado do carro pelo menos uma vez por semana por, no mínimo, 10 minutos. Isso é importante para lubrificar o sistema e evitar o ressecamento das peças.

Manutenção:

Não deixe de higienizar e trocar o filtro do sistema de ar-condicionado, após longos períodos de uso. Faça a manutenção preventiva do ar-condicionado do seu carro na Widmen mais próxima de você!

Saiba mais:

Tire suas dúvidas sobre o ar quente do carro:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/tire-suas-duvidas-sobre-o-ar-quente-do-carro/

Troca de filtro do ar-condicionado evita danos ao veículo:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/troca-de-filtro-do-ar-condicionado-evita-danos-ao-veiculo/

dirigir-em-estrada-off-road

Dicas para dirigir em estrada de terra

Por: Gabriela Rabinovici

Para os entusiastas do mundo off-road, quanto mais obstáculos o trajeto tiver, mais prazeroso se torna o desafio em superá-los. No entanto, trafegar em estradas de terra, não é o mesmo que rodar sobre estradas asfaltadas.

Para evitar que o carro seja danificado e a diversão acabe, é necessário conhecimento, habilidade e muitos cuidados, afinal, a segurança dos ocupantes é muito importante. 

Pensando nisso, selecionamos algumas dicas para que você tenha a road trip perfeita!

– Antes de iniciar o trajeto, esteja com a manutenção do veículo em dia, dê uma olhada nos mapas, confira os equipamentos de segurança do carro e evite excesso de carga;

– Não abuse da velocidade. Terrenos acidentados e veículos utilitários não são apropriados para grandes corridas, pois há o risco de derrapagem e atolamento. Em curvas, por exemplo, evite fazer movimentos bruscos e desvios radicais;

– O tipo de pneu faz toda diferença. Eles devem ser mais reforçados, tanto na composição, quanto no tamanho, com desenhos da banda de rodagem assimétricos e sulcos maiores que os pneus de SUVs e picapes, assim há maior escoamento de água. O tipo All Terrain (AT) é considerado “50% fora da estrada”, enquanto o Mud Terrain (MT) é considerado “100% fora da estrada”;

–  Atente para a calibragem. Ela deve ser regulada conforme a necessidade. Aumentando a pressão pode-se evitar furos ao circular por zonas com pedras. Já, diminuindo a pressão, os pneus podem evitar que o carro afunde na areia ou na lama;

– Após enfrentar uma trilha off-road, não se esqueça de realizar uma limpeza completa. Verifique ainda, o estado dos pneus e atente para a lubrificação das peças. Se o trajeto foi muito severo, vale um check-up geral do veículo em mecânica especializada.

Atenção!

Em veículos off-road 4×4, os quatro pneus devem ser trocados ao mesmo tempo, a não ser que um deles seja danificado e precisar de troca por estepe.

Conte com a Widmen para realizar a manutenção do seu veículo. Aqui você também encontra uma seleção excelente de pneus para os seus passeios “fora da estrada”.

Saiba mais:

Conheça os diferentes tipos de pneus para SUV, pick-ups e 4×4:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/conheca-os-diferentes-tipos-de-pneus-para-suv-pick-ups-e-4×4/

Carros off-road: como funcionam?

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/carros-off-road-como-funcionam/

pneus-tecnológicos

Conheça as principais tendências tecnológicas em pneus

Por: Gabriela Rabinovici

Com diversas opções de pneus à venda no mercado fica difícil escolher o modelo ideal. Para cada modelo de veículo e tipo de condução existem pneus específicos com variações no material, estrutura e design com a função de proporcionar conforto, segurança e o desempenho ideal, bem diferente de alguns anos atrás, quando os pneus eram bem simples, dotados de câmara de ar e com baixa durabilidade.

Hoje, os chamados pneus tecnológicos favorecem não apenas uma direção mais segura, mas também trazem muito mais praticidade, economia e cuidados com o meio ambiente. Confira as principais tendências:

– Pneus verdes:

Este tipo de pneu possui sílica em sua composição, reduzindo o atrito com o asfalto e gerando uma economia de até 5%.

– Pneus autosselantes:

A tecnologia permite que o veículo rode mesmo após ter um pneu furado por parafuso ou prego. Uma película protetora no interior do pneu sela imediatamente o buraco e impede a saída do ar.

– Pneus sem ar:

Já existem diversos protótipos de pneus sem ar em desenvolvimento. A ideia é que eles sejam feitos com materiais mais sustentáveis, como plástico e borracha sólida e suportem o peso do veículo.

– Pneus autocalibráveis:

Ideal para evitar que o veículo rode com a pressão inadequada dos pneus. O rolamento bombeia ar para a câmara e ao alcançar o nível otimizado de inflação, o sistema regulador desativa o bombeamento e permite a circulação do ar interior do pneu.

– Pneus descoloridos:

Trata-se de uma ideia para evitar que o condutor utilize pneus carecas e cause risco na estrada. Uma camada de borracha colorida vai inserida logo abaixo da camada preta, assim quando há desgaste relevante, a camada colorida aparece, indicando que o pneus precisa ser trocado.

Atenção!

Ao adquirir um pneu novo, é importante seguir à risca o que diz o manual do fabricante e escolher o item com as características específicas mencionadas.

Manutenção:

Lembre-se que, independentemente do tipo de pneu, a manutenção deve ser realizada dentro do prazo indicado no manual do fabricante.

Venha até a Widmen conhecer os melhores pneus do mercado!

Saiba mais:

Fique por dentro:

Aprenda a ler o pneu do seu carro:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/aprenda-a-ler-o-pneu-do-seu-carro/

Conheça 10 acessórios úteis para o carro:

https://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/conheca-10-acessorios-uteis-para-o-carro/